Paulo de Castro – Shows góspeis de bandas estrangeiras, why?

Há alguns dias, tive a notícia de um show de uma famosa banda gospel estrangeira, que se apresentaria no estado do Espírito Santo. Sou um grande apreciador da música estrangeira e, por conseqüência, não a condeno; além disso, não conheço a banda e nem pretendo falar mal dela. A questão é que achei muito estranho, e até sem propósito, a apresentação de uma banda cristã [1] que canta em uma língua que não seja a nossa. Compartilharei o porquê.
O fato importante de eu ser contra shows de bandas cristãs estrangeiras é porque desvirtua um dos propósitos da música cristã.
Para quem já leu nosso manifesto no Cante as Escrituras, aprendemos na Bíblia que um dos propósitos da música cristã deve ser ensinar as Escrituras e as doutrinas bíblicas (cf Cl 3:16). No caso das musicas estrangeiras, ainda que as letras delas sejam completamente bíblicas, será muito difícil haver ensino pelo fato de que os ouvintes não as entenderão. Paulo faz-nos meditar sobre isto: “E se tu bendisseres apenas em espírito, como dirá o indouto o amém depois da tua ação de graças? Visto que não entende o que dizes; porque tu, de fato, dás bem as graças, mas o outro não é edificado.” (I Co 14:16-17). [2]
Claro que a dificuldade no ensino não é um fato generalizado, pois é bem provável que alguém do público falará a língua nativa da banda, mas isto não se estende à maioria. Mesmo que o ouvinte saiba a letra decorada e até mesmo a tradução, sem o domínio da língua, o ouvinte com certeza ficará com sua mente infrutífera, devido à dificuldade em entender: “Porque, se eu orar em outra língua, o meu espírito ora de fato, mas minha mente fica infrutífera. Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com a mente; cantarei com o espírito, mas também cantarei com a mente” (I Co 14:14-15). [2]
É triste ver que, mesmo em vista destes fatos, as produtoras de eventos insistem em trazer bandas estrangeiras para fazer shows, mostrando que o interesse hoje em dia não está na edificação da Igreja de Cristo, e sim no lucro resultante do entretenimento alheio.
Volto a dizer que não é errado ouvir músicas estrangeiras; mas, cuidado! Analise biblicamente as letras, olhe se condizem com as Escrituras e use-as corretamente. No final das contas, o uso de músicas estrangeiras é semelhante ao de músicas excessivamente intimistas: ainda que edifiquem, elas devem ser cantadas entre você e Deus, devocionalmente, e não no ajuntamento de Cristãos, como em shows ou em congregações; caso contrário, tais músicas não serão mais que ferramentas de entretenimento, e não meios de edificação.
Referências
[1] Por banda cristã, refiro-me a bandas que tocam basicamente músicas congregacionais de louvor e adoração a Deus. Nada contra bandas compostas por cristãos que compõe musica não-religiosa.
[2] Sei que a passagem refere-se ao dom de línguas, mas vale ressaltar que este dom também se manifesta através de línguas terrenas (cf At 2:5-13).


8 Comentários

  1. Olá a Paz do Senhor Jesus.
    Parabéns pelo blog esta muito bom ja estou seguindo.
    Quero aproveitar para divulgar o meu http://wwwadoradoresemverdade.blogspot.com/
    quando puder faça uma visita.
    Deus abençoe fik na Paz.

  2. achei o post mto interessante, pois nunca havia pensado dessa forma. Apesar de falar ingles e estar presente no referido show percebi que poucas pessoas acompanhavam e a maioria estavam lá por puro entretenimento gospel…

    Bárbara Soares

  3. Ola =)
    Encontrei com um pessoal desse site num show ontem a noite. Ia falar com eles quando terminasse mas os procurei em vao: ja tinha ido embora. Uma pena.
    Gostaria de fazer uma pergunta: não podemos apreciar musica?
    Não podemos fazer isso em conjunto?
    Toda musica deve ser louvor?
    Aguardo sua resposta.

  4. Yago Martins

    Nice,

    Olá :)
    Costumeiramente, nós saímos antes do fim do show. Para falar conosco, é bom fazer antes do show mesmo.

    Sobre sua pergunta: Podemos, sim, apreciar música. Eu ouço bastante música no meu computador, celular e amo isso. A questão é que, quando falamos de música cristã, no sentido de músicas que cantamos em nossos cultos, elas não são feitas para mera apreciação. Como chamam alguns autores, a música que catamos nos nossos cultos são "arte funcional" – ou seja, elas tem um propósito definido além da apreciação. Defendemos, através das Escrituras, que um destes propósitos é ensinar o povo de Deus sobre o Senhor que está sendo adorado.

    Podemos, claro, apreciar boa música em conjunto. A questão é que as mesmas músicas que apreciamos em conjunto são as músicas que cantamos em nossos cultos e boa parte delas não ensina nada ou pouco sobre Deus.

    Espero ter respondido. Qualquer dúvida, pode continuar comentado.

    Grande abraço.

  5. Peace,

    Não entendi bem a sua proposta.Sinceramente não vejo problema em ouvir musica internacional, que alias eu amo. Existem muitas bandas estrangeiras com propósito sabia, com melodias e letras lindas; os musicos brasileiros que o digam: não param de copiar!
    Aprecio a observação de que devemos ter cuidado e examinar as letras, mas daí a se fechar, como num monastério, onde apenas tais musicas, tais letras e em tais linguas são válidas é minimizar a liberdade que temos além de ser em certo sentido preconceituoso!
    No mais curto muito os posts daqui! Grande abraço!

    • Yago Martins

      Acho que você entendeu errado a postagem. Não somos contra ouvir música internacional, o autor deixar claro quando diz: “Sou um grande apreciador da música estrangeira e, por conseqüência, não a condeno”. O que estamos comentando é sobre fazer shows de bandas cristãs internacionais.

      Leia novamente a postagem, com cuidado, e comente novamente.

      Abraços.

  6. Landim Neto

    Olá, Paz e Graça a todas e todos!

    Olha, antigamente, até meados e fim do século XIX, os primeiros missionários que vieram ao Brasil dessa época se preocuparam em fazer verões em português de muitas músicas em estrangeiras. Essas traduções vieram a compor muitos hinários, dentre eles a harpa cristã(das assembleias) e o cantor cristão(das batistas tradicionais). Até hoje, não vi em nenhuma das letras de nenhum desses dois hinários(e eu tenho exemplares dos dois) algo que não fosse, ou edificante, ou adoração racional e unilateral ao SENHOR, muito menos que incorresse em heresia ou blasfêmia. Vale lembrar que esses hinários foram compilados numa época em que ainda não existia nem a internet, nem a televisão, nem(pasme quem quiser) o sinal de radio.

    Não quero dizer com isso que só os hinários daquela época sejam os corretos, ou que só eles prestam, não, não é nada disso. Mas pensemos um pouco: qual(is) era(m) o(s) objetivo(s) daquele pessoal que se preocupou em construir essas e demais coletâneas de hinos, ora compostos originalmente em português, ora traduzidos(acredito eu) quase que exclusivamente do inglês norte-americano para o português, e qual(is) o(s) objetivo(s) dos organizadores desse e de outros eventos gospel, não só com bandas internacionais, mas até com bandas e cantores do cenário gospel nacional? Será que é(são) o(s) mesmo(s)?

    Deixa eu fazer mais uma pergunta: será que nesse e em demais eventos ao vivo de bandas internacionais dentro das fronteiras tupiniquins alguém já pensou em fazer algum tipo de tradução simultânea das letras, ou exibir nos telões legendas, algo tipo ‘closed caption’, ou quem sabe, ao final de cada música alguém sobe lá, pega um microfone e lê a tradução da letra em bom português para todas e todos entenderem? Porque eu tenho certeza de uma coisa: se eu não sei o que estão(mos) cantando, cairemos no mesmo erro apontado pelo Apóstolo Paulo em (I Coríntios 14.9). Alguém parou para pensar nisso?

    Graça e Paz!

  7. achoei muito boa a postagem..gosto bastante de bandas internacionais também, conheço a banda em questão e as letras são ótimas, bastante bíblicas e realmente de cristãos, só que, nessas apresentações(pelo menos nas que eu fui), eles colocam traduções simultâneas das músicas nos telões e tem um tradutor que traduz(redundância?kkk) o que é falado. De qualquer forma, achei muito boa a postagem e admiro bastante o trabalho de vocês com essa iniciativa, Deus abençoe!

Deixe uma Reposta